APRESENTAÇÃO


O conjunto de trabalhos que o amigo leitor encontrará adiante foi produzido ao longo de alguns anos. Não posso aqui precisar quantos, talvez uns vinte. A grande maioria deles foi publicada no jornal A TRIBUNA SANJOANENSE, o semanário mais antigo de São João del-Rei, minha terra natal. Obviamente há uma cronologia de publicação associada aos acontecimentos que inspiraram as respectivas produções. Depois de muito pensar, se deveria mencionar datas, resolvi aboli-las, pois achei que correria o risco de tornar seu passeio um tanto dirigido e até cansativo. Posso imaginar alguém lendo algo retratando fato acontecido há anos! Talvez se sinta desmotivado. Então, no intuito de instigá-lo, apresento uma miscelânea de trabalhos recentes e antigos, a fim de lhe subtrair, de propósito, qualquer direcionamento e deixá-lo livre para pensar, buscando no tempo, por si, tal associação. Acredito ainda que dessa forma esteja incitando sua curiosidade à medida que avance páginas adentro. Sua leitura poderá inclusive ter início pelo fim ou pelo meio, que não haverá prejuízo algum para a percepção de que as coisas no Brasil nunca mudam. Ficará fácil constatar que a vontade política é trabalhada para a perpetuação da incompetência administrativa, obviamente frutífera para algumas minorias. Penso que, se me dispus a estas publicações, deva estar antes de tudo, suscetível a criticas e, portanto, nada melhor que deixá-lo, valendo-se unicamente das informações contidas no texto, localizar-se na história. Caso não lhe seja possível, temo que o trabalho perca qualidade perante seu julgamento pessoal. Por conseguinte, acredito que isso não acontecerá; a não ser que não tenha, a seu tempo, tomado conhecimento dos fatos aqui retratados. Procurei selecionar de tudo um pouco; certamente sempre críticas, porém algumas muito sérias carregadas de um claro amargor. Outras, mais suaves, pândegas e até envoltas num humor sarcástico. Noutras retrato problemas da minha São João del-Rei. Até cartas para congressistas em Brasília há. E em alguns pontos, para abusar da sua paciência, introduzi coisas muito particulares. Críticas à parte, nessas, apenas falo de mim, afinal, apesar de amigos, talvez nunca tenhamos trocado impressões sobre coisas tão pessoais. . .
Aqueles que me conhecem há tempos, sabem que sou um obstinado por política, apesar de jamais tê-la exercido diretamente. Motivos houve de sobra e numa oportunidade poderei explaná-los. Todavia, do fundo do coração, afirmo que tal paixão tem como motor um doloroso inconformismo por ver o Brasil tão esplêndido e tão vilipendiado; vítima inconteste dessa cultura avassaladora de demasiada tolerância à antiética imoral na administração pública. Comprovadamente este é o pior dos tsunames com potencial para ter retardado nosso progresso mais de três séculos e grande responsável pela perpetuação da pobreza de metade da nossa população, pelo analfabetismo total e funcional, pela violência social e pelo abismo intransponível que aliena gigantesco contingente, maior que um quinto da população do continente. Diante do inaceitável absurdo, impossível me conformar em silencio diante dos atos e fatos que vão vergonhosamente enxovalhando nossa história e nos deixando como um gigante deitado sobre o escravismo que a Lei Áurea não foi capaz de abolir. O título? Esse, talvez, seja o mais difícil explicar. Gritos sem ecos representam uma espécie de pedido de socorro do náufrago, que sabe que de nada adiantará espernear, pois não há interlocutores, não há socorro, não há saída, não há conscientização; mas, assim mesmo, grita-se.

Será um prazer receber sua visita e ler suas opiniões, elogios ou críticas.

Forte abraço!



sábado, 20 de maio de 2017

TEORIA DA CONSPIRAÇÃO - SERA POSSIVEL?



TEORIA DA CONSPIRAÇÃO – SERÁ POSSÍVEL?

O famoso ditado popular diz que: - Deus escreve certo por linhas tortas. Considerando-se o antagonismo entre Deus e o diabo, seria correto dizer que: O diabo escreve errado por linhas certas?

Ontem, depois do grande susto e com o coração partido publiquei o desabafo: Muito Obrigado Aécio! Para os que não leram, aquelas foram palavras paridas pela alma, num momento em que tive que me conformar com a realidade difícil de engolir. E para falar a verdade, ainda não engoli e me pergunto; se vale a pena continuar envolvido emocionalmente com algo que aparentemente não tem jeito? Pois é, aí mora o diabo. O mal precisa do silêncio do bem para prevalecer e no xadrez da política leva xeque mate quem se cala ou finge de mudo.

Diante disso convido os amigos a uma reflexão um pouco mais profunda muito útil para o necessário alerta do qual nunca mais poderemos prescindir, se quisermos viver numa nação justa e progressista. Graças a Deus e à democracia temos hoje ao nosso dispor estes canais que nos possibilitam o debate e assim estarmos aptos para fiscalizar os senhores que nos governam, sejam eles suspeitos ou não, pois nunca devemos nos esquecer que o poder corrompe.
           
Considerando-se que sempre depois da tempestade vem o sol, depois da grande decepção sobreveio a felicidade, a sensação do dever comprido, quando passei a receber dezenas de comentários intrigantemente todos afinados com minha opinião sobre o comportamento do nosso senador. Foi a primeira vez que vi amigos afinados com a direita e com a esquerda concordarem unanimemente com algo. Estranho consenso! Mas previsível! Afinal o mesmo punhal não feriu todos, uma vez que há gente que está se deliciando com o desastre de Aécio, por raiva, por desdenho, por radicalismo, por ignorância ou talvez por pensarem que seu pecado será o caminho para o perdão de outros canalhas que ora nos põem também o laço no pescoço.

Assim, diante do drama nacional, conclamo os amigos de ambas as orientações políticas a por hora esquecerem a bipolaridade, o ódio, as mágoas, as discussões infindáveis, no sentido de se lembrarem que neste jogo somos os únicos perdedores, independentemente da bandeira que desfraldamos. Os caras lá de cima estão pouco se lixando pra nós e torcem para que a divisão ideológica seja cada vez mais forte, pois quanto mais se divide, mais se enfraquece. E a sociedade enfraquecida é carne fresca e saborosa.

Sou da opinião de que alguém que apareça sujo de batom tem algo a explicar. Assim penso que Aécio e Temer têm muito a explicar e assim deve ser porque a democracia lhes garante esse direito. Contudo é hora de nós, o povo, abrirmos os olhos para enxergar mais longe, porque atrás dessa montanha pode haver coisas também importantes acontecendo, nem tão invisíveis quanto possam parecer.

Os amigos acham que foi pura coincidência um quarteto de petistas consagrados do calibre do Juiz Edson Fachin, dos mega empresários Batista e do procurador Janot, do nada, saírem por aí de metralhadora nas mãos atirando para todos os lados? Nunca se viu no Brasil algo no âmbito judicial acontecer tão rápido! Deixaram até o cometa de Halley para trás exatamente na hora em que o Brasil começava a acordar da recessão profunda e numa tacada só mataram dois coelhos. Aécio; potencial candidato a Presidente da República e Temer, o cara que ia vagarosamente colocando a máquina enferrujada para funcionar. E pior, eleito por quem agora o combate.

Pois é amigos, impulsionado por tamanha estranheza é que volto a insistir na conclamação a esquecermos as divisões que ora pairam sobre nossas cabeças lembrando que o povo sempre será vítima independentemente da sua paixão política.

ANTÔNIO KLEBER DOS SANTOS CECÍLIO