APRESENTAÇÃO


O conjunto de trabalhos que o amigo leitor encontrará adiante foi produzido ao longo de alguns anos. Não posso aqui precisar quantos, talvez uns vinte. A grande maioria deles foi publicada no jornal A TRIBUNA SANJOANENSE, o semanário mais antigo de São João del-Rei, minha terra natal. Obviamente há uma cronologia de publicação associada aos acontecimentos que inspiraram as respectivas produções. Depois de muito pensar, se deveria mencionar datas, resolvi aboli-las, pois achei que correria o risco de tornar seu passeio um tanto dirigido e até cansativo. Posso imaginar alguém lendo algo retratando fato acontecido há anos! Talvez se sinta desmotivado. Então, no intuito de instigá-lo, apresento uma miscelânea de trabalhos recentes e antigos, a fim de lhe subtrair, de propósito, qualquer direcionamento e deixá-lo livre para pensar, buscando no tempo, por si, tal associação. Acredito ainda que dessa forma esteja incitando sua curiosidade à medida que avance páginas adentro. Sua leitura poderá inclusive ter início pelo fim ou pelo meio, que não haverá prejuízo algum para a percepção de que as coisas no Brasil nunca mudam. Ficará fácil constatar que a vontade política é trabalhada para a perpetuação da incompetência administrativa, obviamente frutífera para algumas minorias. Penso que, se me dispus a estas publicações, deva estar antes de tudo, suscetível a criticas e, portanto, nada melhor que deixá-lo, valendo-se unicamente das informações contidas no texto, localizar-se na história. Caso não lhe seja possível, temo que o trabalho perca qualidade perante seu julgamento pessoal. Por conseguinte, acredito que isso não acontecerá; a não ser que não tenha, a seu tempo, tomado conhecimento dos fatos aqui retratados. Procurei selecionar de tudo um pouco; certamente sempre críticas, porém algumas muito sérias carregadas de um claro amargor. Outras, mais suaves, pândegas e até envoltas num humor sarcástico. Noutras retrato problemas da minha São João del-Rei. Até cartas para congressistas em Brasília há. E em alguns pontos, para abusar da sua paciência, introduzi coisas muito particulares. Críticas à parte, nessas, apenas falo de mim, afinal, apesar de amigos, talvez nunca tenhamos trocado impressões sobre coisas tão pessoais. . .
Aqueles que me conhecem há tempos, sabem que sou um obstinado por política, apesar de jamais tê-la exercido diretamente. Motivos houve de sobra e numa oportunidade poderei explaná-los. Todavia, do fundo do coração, afirmo que tal paixão tem como motor um doloroso inconformismo por ver o Brasil tão esplêndido e tão vilipendiado; vítima inconteste dessa cultura avassaladora de demasiada tolerância à antiética imoral na administração pública. Comprovadamente este é o pior dos tsunames com potencial para ter retardado nosso progresso mais de três séculos e grande responsável pela perpetuação da pobreza de metade da nossa população, pelo analfabetismo total e funcional, pela violência social e pelo abismo intransponível que aliena gigantesco contingente, maior que um quinto da população do continente. Diante do inaceitável absurdo, impossível me conformar em silencio diante dos atos e fatos que vão vergonhosamente enxovalhando nossa história e nos deixando como um gigante deitado sobre o escravismo que a Lei Áurea não foi capaz de abolir. O título? Esse, talvez, seja o mais difícil explicar. Gritos sem ecos representam uma espécie de pedido de socorro do náufrago, que sabe que de nada adiantará espernear, pois não há interlocutores, não há socorro, não há saída, não há conscientização; mas, assim mesmo, grita-se.

Será um prazer receber sua visita e ler suas opiniões, elogios ou críticas.

Forte abraço!



quarta-feira, 10 de julho de 2013

CARTA ABERTA AO JOVENS ESTUDANTES E AOS VELHOS DE GUERRA



CARTA ABERTA AOS JOVENS ESTUDANTES E AOS VELHOS DE GUERRA

09 de julho de 2013.
           
            Na condição de cidadão consciente, extremamente preocupado com a situação do Brasil, me senti com a alma lavada e até com o orgulho cívico renovado, quando vi nossos bravos jovens estudantes nas ruas veementemente se manifestando contra a ciranda massacrante a que estamos submetidos pela força do mau caráter dos nossos governantes irresponsáveis, desonestos e descompromissados com o bem estar e o aprimoramento da sociedade.
            Penso que essa foi uma boa lição em todos os sentidos:
Primeiro, porque ficou provado que as ferramentas cibernéticas disponíveis hoje nos libertaram do controle político sobre a imprensa, que claramente anda dormindo no ponto, certamente imobilizada pelo medo da retaliação dos poderosos de plantão.
Segundo, porque foi uma injeção de ânimo na banda social desmotivada pelo desinteresse, descrença ou mesmo pela ignorância. Todos viram que, quando o povo fala grosso, os políticos enfiam o rabo no meio das pernas.
E terceiro, porque a máscara de ovelha inofensiva e maternal do PT caiu por terra. O velho partidão viu que o simples assistencialismo populista não é suficiente para resgatar a dignidade de alguém; que, se muito mais não for realizado a reeleição e o projeto de permanência perene na governança do Brasil pode se esvair como um castelo de cartas ao vento.
            Caros amigos, não me considero velho, mas tenho consciência de que na altura dos meus cinqüenta e oito anos posso até ser mais idoso que muitos dos vossos pais e até avós. Por isso, talvez corra o risco de ser encarado como um dinossauro carregado de conceitos ultrapassados, segundo vossa visão de vanguarda.  Entretanto, penso que na condição de mais vivido e testemunha ocular da história, tenho conhecimentos e experiências que se soubermos somar ao vosso ânimo de jovens sedentos por justiça e conscientes da querência de uma nação melhor, poderemos juntos alcançar muito bons resultados. 
            Digo isso, porque, apesar dos bons frutos colhidos na ultima campanha popular nas ruas, acredito que ainda falte longo caminho a percorrer; assim, se nos desmobilizarmos eles voltarão à costumeira zona de conforto e estará perdido todo o esforço inicial.
            Os petistas são miméticos, dissimulados e sabem muito bem manipular as emoções do povo. Veja essa saída da presidente para um plebiscito; uma clara manobra de desmobilização e resfriamento dos ânimos através da instalação de uma cortina de fumaça e do lançamento da sociedade num exercício longo e demorado de polêmica. Claro que o Brasil não pode prescindir de uma reforma política, mas essa não é a hora adequada e não é bem esse o foco central das reivindicações populares. Mas o PT é assim, sabe fingir de morto, a fim de ter tempo de reunir forças e eleger culpados, para depois renascer mais forte que nunca.
            Bom; feito esse intróito estou certo de que agora possa entrar diretamente no assunto, que me motivou a vos enviar essa missiva.
            Acredito que os senhores estejam a par do grande esforço dos atuais dirigentes da maioria dos países latinos americanos, dentre eles o Brasil, através do seu principal líder político, o Sr. ex-presidente Lula, para criarem um grande quintal comunista latino americano sem fronteiras, inspirado nos ideais da tresloucada e ultrapassada revolução Cubana. A série de reuniões entre Lula e Fidel Castro nesse sentido teve início ainda no início da década dos noventa; época que Lula nem sonhava que um dia o povo brasileiro lhe colocaria nas mãos seu nobre destino, inocentemente acreditando nas promessas de um futuro mais promissor, livre da ação dos quadrilheiros políticos, inspirado em princípios éticos e democráticos.
            Os dois líderes então criaram o “FORO DE SÃO PAULO” que já aconteceu em várias capitais latino-americanas e cuja décima nona versão deverá acontecer na capital paulista entre a última semana de julho e princípio de agosto. Apenas a título informativo a versão paulistana do FORO DE SÃO PAULO será uma das maiores dentre as já realizadas. Mais de quinhentos ilustres pensadores e filósofos de orientação comunista, dentre eles quase todos os presidentes latinos americanos estarão presentes. E o que é mais assustador: comporão a macabra platéia alguns guerrilheiros das FARC colombiana, donos de longas folhas corridas com registros de assassinatos e seqüestros a serviço do terrorismo urbano na Colômbia, inclusive com associação comprovada ao narcotráfico; cuja recepção já aconteceu no Brasil com honras de chefes de estado pelo governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro; inclusive com diárias pagas em hotéis de luxo através do empenho de recursos públicos.  Isso não é nenhuma novidade para os mais velhos como eu, pois há informes constantes, em noticiários especializados, da velha amizade, simpatia e comprometimento político do PT com tais bandidos; sempre embarcado na leviana desculpa de que esses elementos perniciosos e à margem da lei são defensores da democracia e sonhada libertação do povo Colombiano e da América Latina como um todo.
            Obviamente essas são veladas mentiras, uma vez que não seja segredo para alguém quais os métodos ditatoriais os comunistas implantam depois que persuadem a sociedade com suas bravatas, utopias e promessas fantasiosas de melhores dias. Não há um só exemplo na história contemporânea de países que gozaram desenvolvimento sustentável sob tal regime. A história do comunismo, pelo contrário, é carregada de sofreguidão, empobrecimento, atraso tecnológico e dores que deixam feridas profundas e difíceis de cicatrizar.
            Em vista do acima exposto, penso ser mais do que necessário posicionamento heróico e urgente diante da escassez de tempo, no sentido da criação de uma potente corrente informativa, capaz de levar ao conhecimento do povo – principalmente dos jovens – essas ações sub-reptícias, com potencial para escravizar o continente; o empurrando numa espiral de ditaduras sanguinárias, que podem durar décadas.
            Por isso vos exorto para que consigamos nova mobilização pacifica, diante dos holofotes da imprensa, a fim de que esses canalhas se assustem e abortem o FORO DE SÃO PAULO. Que fique definitivamente plantada nas cabeças das lideranças comunistas a certeza de que o Brasil e seu povo, liderado pelos jovens, não querem ditadura, nem de direita, nem de esquerda; nem qualquer modelo político incongruente com os parâmetros do Estado de Direito e da ordem democrática plena e encaixada no ordenamento Constitucional brasileiro.
            Os problemas do Brasil não são de fácil resolução, contudo está mais do que provado que a solução não passa pelo comunismo ditatorial. Pelo contrário, a sociedade brasileira esta sofrendo é pela incompetência e irresponsabilidade da classe política. O capitalismo, na sua versão cruel tem sua parcela de culpa, entretanto uma das funções do governo num estado democrático é estabelecer normas para mantê-lo enquadrado nos limites da ética e do respeito aos direitos básicos do ser humano; quais sejam: de se alimentar, de morar com dignidade, de se educar, se movimentar livremente para poder exercer sua cidadania em paz e com dignidade. Além do mais é oportuno não esquecermos que a trajetória de sucesso de países como o Japão, Koréia do Sul, Austrália e até mesmo a China, que há pouco tempo estavam mergulhados no caos e na obscuridade hoje gozam de respeitabilidade política e econômica graças ao capitalismo bem gerenciado, à educação de qualidade em massa, ao empreendedorismo e à democracia.

ANTONIO KLEBER DOS SANTOS CECÍLIO.

Vejam os links abaixo a relação íntima deles com os comunistas latinos americanos.