APRESENTAÇÃO


O conjunto de trabalhos que o amigo leitor encontrará adiante foi produzido ao longo de alguns anos. Não posso aqui precisar quantos, talvez uns vinte. A grande maioria deles foi publicada no jornal A TRIBUNA SANJOANENSE, o semanário mais antigo de São João del-Rei, minha terra natal. Obviamente há uma cronologia de publicação associada aos acontecimentos que inspiraram as respectivas produções. Depois de muito pensar, se deveria mencionar datas, resolvi aboli-las, pois achei que correria o risco de tornar seu passeio um tanto dirigido e até cansativo. Posso imaginar alguém lendo algo retratando fato acontecido há anos! Talvez se sinta desmotivado. Então, no intuito de instigá-lo, apresento uma miscelânea de trabalhos recentes e antigos, a fim de lhe subtrair, de propósito, qualquer direcionamento e deixá-lo livre para pensar, buscando no tempo, por si, tal associação. Acredito ainda que dessa forma esteja incitando sua curiosidade à medida que avance páginas adentro. Sua leitura poderá inclusive ter início pelo fim ou pelo meio, que não haverá prejuízo algum para a percepção de que as coisas no Brasil nunca mudam. Ficará fácil constatar que a vontade política é trabalhada para a perpetuação da incompetência administrativa, obviamente frutífera para algumas minorias. Penso que, se me dispus a estas publicações, deva estar antes de tudo, suscetível a criticas e, portanto, nada melhor que deixá-lo, valendo-se unicamente das informações contidas no texto, localizar-se na história. Caso não lhe seja possível, temo que o trabalho perca qualidade perante seu julgamento pessoal. Por conseguinte, acredito que isso não acontecerá; a não ser que não tenha, a seu tempo, tomado conhecimento dos fatos aqui retratados. Procurei selecionar de tudo um pouco; certamente sempre críticas, porém algumas muito sérias carregadas de um claro amargor. Outras, mais suaves, pândegas e até envoltas num humor sarcástico. Noutras retrato problemas da minha São João del-Rei. Até cartas para congressistas em Brasília há. E em alguns pontos, para abusar da sua paciência, introduzi coisas muito particulares. Críticas à parte, nessas, apenas falo de mim, afinal, apesar de amigos, talvez nunca tenhamos trocado impressões sobre coisas tão pessoais. . .
Aqueles que me conhecem há tempos, sabem que sou um obstinado por política, apesar de jamais tê-la exercido diretamente. Motivos houve de sobra e numa oportunidade poderei explaná-los. Todavia, do fundo do coração, afirmo que tal paixão tem como motor um doloroso inconformismo por ver o Brasil tão esplêndido e tão vilipendiado; vítima inconteste dessa cultura avassaladora de demasiada tolerância à antiética imoral na administração pública. Comprovadamente este é o pior dos tsunames com potencial para ter retardado nosso progresso mais de três séculos e grande responsável pela perpetuação da pobreza de metade da nossa população, pelo analfabetismo total e funcional, pela violência social e pelo abismo intransponível que aliena gigantesco contingente, maior que um quinto da população do continente. Diante do inaceitável absurdo, impossível me conformar em silencio diante dos atos e fatos que vão vergonhosamente enxovalhando nossa história e nos deixando como um gigante deitado sobre o escravismo que a Lei Áurea não foi capaz de abolir. O título? Esse, talvez, seja o mais difícil explicar. Gritos sem ecos representam uma espécie de pedido de socorro do náufrago, que sabe que de nada adiantará espernear, pois não há interlocutores, não há socorro, não há saída, não há conscientização; mas, assim mesmo, grita-se.

Será um prazer receber sua visita e ler suas opiniões, elogios ou críticas.

Forte abraço!



quinta-feira, 16 de maio de 2013

RESPOSTA AO PROFESSOR COMUNISTA SALIM LAMRANI DA SORBONNE



MINHA RESPOSTA AO PROFESSOR SALIM LAMRANI AOS SEUS QUESTIOMENTOS À DISSIDENTE CUBANA YOANI SANCHEZ. O PROFESSOR DEFENDE O REGIME COMUNISTA DITATORIAL CUBANO E É DR. ESPECIALISTA EM ASSUNTOS CUBANO AMERICANOS.

Tentando responder sua extensa pergunta baseado no que senti quando vi e ouvi pela primeira vez esse ícone midiático, que atende pelo nome de Yoani Sachez:
Tenho quase sessenta anos nas costas, sou lido e corrido, viajado, já li algumas centenas de livros, conheço uma dezena de países, vivi muito bem o tempo da guerra fria e suas nuances de assédio comunista baseada em terrorismo urbano brasileiro e latino americano, assaltos a bancos, seqüestros de autoridades,  que muito aterrorizaram a paz das famílias, como também assisti à brilhante e eficiente reação do nosso exército (estou me referindo ao brasileiro) na função de defender o Brasil contra as ações daqueles agentes que diziam e ainda dizem ter atuado em nome da liberdade, mas que na realidade eram movidos pelo baixo sentimento de ódio às instituições democráticas, ao capitalismo  e ao progresso americano; sentimento oriundo da União Soviética liderada pelo bando de assassinos bolcheviques responsáveis por milhares de casos de torturas e assassinatos nos gulags siberianos; especialistas na arte do terrorismo, do monitoramento do direito de ir e vir, do achaque e da bisbilhotagem da vida alheia nos países da cortina de ferro (Europa oriental).
            Conheço também de perto os métodos de colonialismo cruel usado e empregado pelos chacais europeus e americanos na América Latina, na África e em muitos pontos da Ásia e da Oceania.
            Estou, por enquanto, me referindo a acontecimentos relativos à história contemporânea. Entretanto, se alargarmos a visão para horizontes mais vastos através dos séculos veremos que esses métodos de massacre expansionista e exploratório sempre foram aplicados desde os grandes Impérios da Antigüidade.
            Fácil concluir, para não delongar, que o defeito mora no ser humano. Nossa espécie é predadora por natureza! Nós não aquentamos ver outros em paz e prosperando que logo aquele velho e vil sentimento chamado “inveja” nos acomete e nos impele ao ato da destruição, da perseguição, do massacre, do menosprezo, da discriminação, do desdenho. Dificilmente alguém procura usar o progresso do outro como bom exemplo positivo para aplicação em seu próprio quintal. Nosso primeiro impulso é a dominação pela força. Veja, por exemplo, a história da Rússia (ex União Soviética) ou mesmo Cuba?  Países que ficaram pobres e atrasados no tempo e no espaço. A Rússia se destacou na área bélica e na astronáutica, porque uma esta intimamente relacionada à outra e ainda havia os Estados Unidos para servirem de espelho. Onde mais os russos se destacam hoje que mereça menção? Quantas grandes universidades há na Rússia, quais e quantas conquistas científicas os russos legaram à humanidade, quantos prêmios nobéis eles já conquistaram, qual a grandeza do índice de desenvolvimento humano russo, quais grandes transnacionais carregam a bandeira Russa? Cuba encalacrada no mesmo abismo, enquanto contou com a ajuda Soviética foi mais ou menos. Agora, não passa de uma excrescência sempre culpando os Estados Unidos pelo embargo econômico! No entanto, se trocarmos os sujeitos da pergunta e introduzirmos os EUA ou a França, onde você mora, trabalha e vive livremente a resposta será infinitamente mais extensa. Esses são centros científicos que colaboram e colaboraram em muito com o progresso humano.
            Concluo, sem a menor sombra de dúvida, que a história da humanidade é um lixo do qual deveríamos nos envergonhar, entretanto uma pérola brotou nessa lama há pouco menos de um século, chamada DEMOCRACIA E DIREITOS HUMANOS.
            Sei que ela ainda é muito desrespeitada e em seu nome muitas arbitrariedades e injustiças ainda se cometem, mas, ainda assim, prefiro conviver e viver nos países onde ela mal ou bem é cultuada, onde haja eleição, imprensa livre, liberdade de ir e vir, de investir, de criticar, falar o que se pensa, reunir e discutir política oposicionista, de criar, de manifestar, de sonhar e poder transformar sonhos em realidade.
            Não adianta vocês comunistas tentarem vender a falsa idéia de que regimes onde manda um ditador, cercado por um bando de asseclas fieis agindo nas sombras sem a presença da imprensa livre, sem partidos de oposição, com pessoas impedidas, pelo menos, de ir embora, seja uma boa coisa para viver e conviver.
            Cuba é vendida e considerada por vocês como um paraíso de progresso e desenvolvimento social. Mentira pura e simples! Vocês deveriam ter consciência e pararem de vender um peixe podre desses. Conheci centenas de cubanos, todos com histórias escabrosas pra contar. Nunca vi nem conheci pelo menos um que falasse bem da tão propalada “Revolucion”. Além disso, Cuba é um pais que esta despencando aos pedaços. Pelas fotos não é difícil perceber. Fidel Castro é um sujeito asqueroso, com cara de bandido desafiador. Seu olhar flamejante demonstra que sua alma é carregada de culpa e de más intenções. Aliás, todo assassino no fim da vida assume a postura de guru santificado e remido.
            Prefiro Yoani Sanchez com todas as suspeitas de alianças espúrias com países e instituições reconhecidamente democráticas, do que Fidel Castro vestido de cordeiro e com a cruz de Cristo nas mãos.
            Vocês comunistas são figuras quase mitológicas no mundo político bem chegados à vida fantasiosa. Não se cansam de propalar vantagens que ninguém pode conferir ou constatar. Aqui no Brasil, no Paraguai, na França, nos Estados Unidos ou no Gabão; feridas e cicatrizes estão escancaradas para quem quiser ver, pesar, medir, criticar, julgar, tripudiar, zombar. Mas, quando se fala em Cuba e na União Soviética, vocês mudam de assunto como o demônio mudaria se falássemos do céu. O compromisso de vocês é única e exclusivamente com a “Revolucion” utópica, a fim de encher a cabeça de jovens impetuosos e ignorantes e usá-los como soldados numa luta, cuja vitória, se algum dia acontecer, jamais participarão? Fidel Castro eliminou os camaradas que o acompanharam na investida contra Fulgêncio Batista, assim como Lenin também o fez com os trabalhadores miseráveis que o entronaram na liderança da “revolucion” marxista contra a elite czariana russa. Os lideres que carregam consigo o vírus dominatório temem todos aqueles que têm potencial para colocar em risco seu projeto de se perpetuar no poder, por isso se apressam para se livrar deles. Puros traidores!
            Você se dirige a Yoani com perguntas e mais perguntas, quase sempre preocupado com o dinheiro que ela ganha, deixou de ganhar, quem paga suas despesas, por que se mudou para a Europa, por que voltou para Cuba, por que recebeu a emissária americana em seu apartamento? Impressionante como um homem do seu gabarito, senhor de um currículo invejável, catedrático de Sorbonne, vários livros publicados; é capaz de descer das alturas de tamanho pedestal para inquirir outra pessoa que simplesmente esta correndo atrás do mesmo sonho que você conseguiu conquistar. Responda com todas as letras, sem subterfúgios: quem pagou seus estudos até que chegasse a tão alto grau, quais seus ganhos em euros, quanto ganha pelos seus direitos autorais? Baseado no mesmo tom pejorativo das perguntas dirigidas a Yoani Sanchez, não é difícil concluir que o governo cubano teria arcado com as despesas da sua alta graduação enquanto seu povo vive com uma mínima ração e sem poder reclamar.  Senão, a troco de que um intelectual do seu nível, que vive em Paris, Cidade Luz, ícone do capitalismo, do consumismo, da democracia e berço da cultura moderna; perderia quase todo o tempo da vida defendendo e enaltecendo um regime obscuro como o Cubano? Por que não se muda para Cuba e vai ganhar o que ganham os cubanos sob as botas dos irmãos Castro?
            Sinto muito, mas as contas da sua vida não fecham. Por isso qualquer pessoa minimamente inteligente conclui que você é um sujeito desonesto nas suas afirmações, na sua cátedra e nas suas preleções publicadas. Um sujeito do seu nível, morador de Paris, ter a coragem de defender ditaduras e ditadores é um verdadeiro desvio comportamental. E pior: as perguntas formuladas por você e dirigidas a Yoani estão carregadas de afirmações que comprovam o que você comunistas negam sobre Cuba.

Um exemplo:
11. Como pode pretender representar os cubanos enquanto possui um nível de vida que nenhuma pessoa na ilha pode se permitir levar?
Minha pergunta: Quem as impede de levar um alto nível de vida?

12. O que faz para se conectar à Internet se afirma que os cubanos não têm acesso e ela?
Meu comentário: o mundo inteiro sabe que em ditaduras comunistas como as da Koreia do Norte, China e Cuba, só os chefões têm acesso livre à internet.

            Outro ponto fraco da sua pessoa é seu pedantismo. Nunca perde oportunidade de anunciar seu longo e invejável currículo acadêmico, certamente na certeza de que sua montaria de ouro o credencia a falar bobagens que todos devem acreditar. Conheço pessoas que o superam em gênero, número e grau; já contribuíram sobremaneira com trabalhos de grande utilidade e nem por isso vivem por aí a se promover como se donos da verdade fossem. Aliás, até se engrandecem quando reconhecem que quanto mais sabem, menos podem compreender os segredos da personalidade humana ou da ciência.
            Yoani ainda será presidente de Cuba, com o apoio internacional. Se depender do meu apoio financeiro e político, ela o terá. Para você ver que carisma e credibilidade ela tem de sobra. Isso é questão pessoal, não se discute. A pessoa já nasce com esse dom! Com certeza a França, país que não é qualquer um que pode ter o privilégio de morar, a apoiará. Nesse caso, lhe dou um conselho. Mude-se para Cuba. Lá as latrinas dos ditadores e dos seus puxa sacos cheiram muito bem. Fedor é coisa de povo e reside lá do outro lado dos muros dos palácios e residências chiques da elite. De qual lado você escolherá viver?
            Ah, ainda lhe restará os Estados Unidos. Você tem visto no passaporte? Se não tiver tente, que eles com certeza o deixarão entrar para continuar metendo o páu neles e elogiando os irmãos Castro. A democracia que eu admiro funciona assim, caro professor!
        Ah, ia me esquecendo! Você quanto eu sabemos muito bem que a América Latina é e foi mesmo muito explorada pelos chacais da direita. Contudo hoje essa desculpa não tem mais fundamento. A culpa da nossa pobreza e do nosso atraso social é simplesmente dos nossos governantes safados, corruptos, desonestos e/ou incompetentes. Por isso um último conselho: pare de imputar a culpa das nossas mazelas latino americanas exclusivamente ao capitalismo. Hoje o maniqueismo totalitário de muitos bandidos que vivem nas abas dos governo e de governantes populistas como Lula e Dilma são nossos maiores inimigos. Dão esmolas com uma mão e roubam com a outra na esteira da enorme carga tributária, inclusive para os bolsistas pobres, que aliás proporcionalmente são os que pagam mais impostos. 
       Veja o exemplo da Argentina e da Venezuela. O que os governantes idiotas estão fazendo lá merece que nota do professor? Na Venezuela há desabastecimento até de papel higiênico e a Argentina já exibe a maior inflação do globo. Certamente o sr. afirmará que a culpa cabe aos americanos e ao seu capitalismo.