APRESENTAÇÃO


O conjunto de trabalhos que o amigo leitor encontrará adiante foi produzido ao longo de alguns anos. Não posso aqui precisar quantos, talvez uns vinte. A grande maioria deles foi publicada no jornal A TRIBUNA SANJOANENSE, o semanário mais antigo de São João del-Rei, minha terra natal. Obviamente há uma cronologia de publicação associada aos acontecimentos que inspiraram as respectivas produções. Depois de muito pensar, se deveria mencionar datas, resolvi aboli-las, pois achei que correria o risco de tornar seu passeio um tanto dirigido e até cansativo. Posso imaginar alguém lendo algo retratando fato acontecido há anos! Talvez se sinta desmotivado. Então, no intuito de instigá-lo, apresento uma miscelânea de trabalhos recentes e antigos, a fim de lhe subtrair, de propósito, qualquer direcionamento e deixá-lo livre para pensar, buscando no tempo, por si, tal associação. Acredito ainda que dessa forma esteja incitando sua curiosidade à medida que avance páginas adentro. Sua leitura poderá inclusive ter início pelo fim ou pelo meio, que não haverá prejuízo algum para a percepção de que as coisas no Brasil nunca mudam. Ficará fácil constatar que a vontade política é trabalhada para a perpetuação da incompetência administrativa, obviamente frutífera para algumas minorias. Penso que, se me dispus a estas publicações, deva estar antes de tudo, suscetível a criticas e, portanto, nada melhor que deixá-lo, valendo-se unicamente das informações contidas no texto, localizar-se na história. Caso não lhe seja possível, temo que o trabalho perca qualidade perante seu julgamento pessoal. Por conseguinte, acredito que isso não acontecerá; a não ser que não tenha, a seu tempo, tomado conhecimento dos fatos aqui retratados. Procurei selecionar de tudo um pouco; certamente sempre críticas, porém algumas muito sérias carregadas de um claro amargor. Outras, mais suaves, pândegas e até envoltas num humor sarcástico. Noutras retrato problemas da minha São João del-Rei. Até cartas para congressistas em Brasília há. E em alguns pontos, para abusar da sua paciência, introduzi coisas muito particulares. Críticas à parte, nessas, apenas falo de mim, afinal, apesar de amigos, talvez nunca tenhamos trocado impressões sobre coisas tão pessoais. . .
Aqueles que me conhecem há tempos, sabem que sou um obstinado por política, apesar de jamais tê-la exercido diretamente. Motivos houve de sobra e numa oportunidade poderei explaná-los. Todavia, do fundo do coração, afirmo que tal paixão tem como motor um doloroso inconformismo por ver o Brasil tão esplêndido e tão vilipendiado; vítima inconteste dessa cultura avassaladora de demasiada tolerância à antiética imoral na administração pública. Comprovadamente este é o pior dos tsunames com potencial para ter retardado nosso progresso mais de três séculos e grande responsável pela perpetuação da pobreza de metade da nossa população, pelo analfabetismo total e funcional, pela violência social e pelo abismo intransponível que aliena gigantesco contingente, maior que um quinto da população do continente. Diante do inaceitável absurdo, impossível me conformar em silencio diante dos atos e fatos que vão vergonhosamente enxovalhando nossa história e nos deixando como um gigante deitado sobre o escravismo que a Lei Áurea não foi capaz de abolir. O título? Esse, talvez, seja o mais difícil explicar. Gritos sem ecos representam uma espécie de pedido de socorro do náufrago, que sabe que de nada adiantará espernear, pois não há interlocutores, não há socorro, não há saída, não há conscientização; mas, assim mesmo, grita-se.

Será um prazer receber sua visita e ler suas opiniões, elogios ou críticas.

Forte abraço!



segunda-feira, 14 de julho de 2014

VEM AI O DECRETO LEI 8243 - ABRA OS OLHOS

            Aqueles que enchem o peito com todo orgulho para dizer que não gostam de política, gostam muito mais de festa. Com o término da Copa do Mundo já devem estar se preocupando com as próximas. Talvez natal, reveillon, carnaval, semana santa, aniversário da escola de samba do coração... Esquecendo que teremos em breve uma importante eleição para renovar grande parte do conjunto de governantes, mas prefere viver desconhecendo a realidade, entregando sua vida e seu destino nas mãos de bandidos profissionais da política e ainda acreditando em governo que compra votos com esmolas.
            Apenas uma coisa um povo de memória fraca e que não gosta de política não pode esquecer: - Porcos também ganham muita comida, mesmo assim vivem na lama e quando estão bem criados morrem para encher barrigas alheias. Pensando bem, por que isso acontece? Porque não pensam; por isso não sabem a forca que têm e acreditam em mão que da sem pedir retorno.
            Por isso, mais uma vez, aqui estou batendo na mesma tecla: - Enquanto o Brasil inteiro está distraído com as festas e satisfeito com o governo bonzinho que compra votos com bolsas, o comunismo esta batendo às nossas portas e ninguém percebe ou acredita. Prova melhor é que o governo federal acaba de instituir o decreto lei 8243, promulgado em maio deste ano de 2014, e assim está dando importante passo para tomar do povo brasileiro a democracia conquistada a duras penas.
            Sem a mínima cobertura da grande imprensa nacional e nenhum conhecimento popular, salvo algumas denuncias e comentários de jornalistas independentes de jornais eletrônicos veiculados pela internet, a presidente assinou esse decreto, que se configura numa lei antidemocrática, porque estabelece Conselhos Populares compostos por membros do grande partido do governo com a participação de Movimentos Sociais alinhados a esse mesmo governo. A intenção é que as grandes questões nacionais sejam discutidas primeiro em fóruns populares compostos por esses futuros conselhos.
            Automaticamente fica de fora quem discorde do governo ou não pertença a nenhum movimento social, assim desobedecendo a Constituição Federal, que garante somente ao Congresso Nacional poder para legislar e fiscalizar atos do Executivo. Também deve ser composto por membros eleitos diretamente pela maioria de votos individuais, secretos e de igual valor para todos os cidadãos, independentemente da sua classe social, partido ou opinião política. Nestas condições, além do Congresso Nacional perder a razão de existir, o país passa a ser governado unicamente por um partido, ficando demais partidos de oposição e os cidadãos sem partido a ver navios e sem qualquer importância ou direito de opinar. Em resumo, está sendo criado um grupo de cidadãos com mais direitos que a maioria e com vocação para vaquinhas de presépio, boas para balançar a cabeça sempre que o governo precisar.
            Pode-se afirmar sem a menor dúvida que o decreto em questão é uma viagem no túnel do tempo diretamente ao ano de 1917, quando Lênin, o primeiro presidente comunista da Rússia, tomou o poder em nome do povo. Seu atrativo era a promessa de acabar com as injustiças sociais através da criação de um Estado onde todos fossem iguais; menos ele e seu grupo. A história, contudo, demonstra que os pobres soviéticos continuaram cada vez mais pobres e sem direito nem de espernear, porque o comunismo não tolera oposição.
            Mas Lênin e seu partido comunista tinham muitas cartas na manga, que não foram mostradas antes. A verdadeira intenção era perpetuarem-se no poder sem oposição para incomodar. Instituíram os conselhos – em russo igual a sovietes – compostos por membros do partido e movimentos sociais, que mais tarde – em 1922 – formariam a União Soviética Comunista e governariam o país com mão de ferro por setenta longos anos, sem a participação popular, sem eleições, sem imprensa, sem direito de defesa.
            Aproveito para chamar atenção do leitor sobre a coincidência histórica. Na verdade não há coincidência alguma! Ha sim um alinhamento dos nossos estrategistas políticos do PT com a ideologia comunista que levou a Rússia e seu povo inocente a viver aqueles anos de chumbo que só serviram para manchar a historia com desrespeito, truculência, ditadura e sofrimento em favor de uma pequena elite de governantes sádicos, que faziam qualquer negócio sujo pelo prazer de mandar sem limites.
            Será que é isso mesmo que o povo brasileiro precisa para resolver os problemas do Brasil? Buscar no passado algo que não funcionou bem e além do mais aprofundou a miséria material e espiritual de uma nação muito mais antiga e poderosa que a nossa?
            Se o leitor ainda não tem respostas para essa grave e importante questão, não deixe de curtir as festas, mas também não se esqueça de estudar um pouco a historia dos países que optaram pelo comunismo, leia alguma coisa sobre como algumas nações conseguiram acabar com a pobreza, troque idéia com quem tem mais conhecimento histórico, assista aos noticiários mais comprometidos com a verdade, disponíveis na internet ou em horários mais tardios.
            Por último, procure saber qual a vantagem de anular ou votar em branco e descobrirá que é o mesmo que tentar empurrar o diabo para a fogueira sem ser abraçado por ele. Assim estará aprendendo a valorizar mais seu voto, sua pessoa, sua dignidade e nossa democracia.


 ANTONIO KLEBER DOS SANTOS CECILIO