APRESENTAÇÃO


O conjunto de trabalhos que o amigo leitor encontrará adiante foi produzido ao longo de alguns anos. Não posso aqui precisar quantos, talvez uns vinte. A grande maioria deles foi publicada no jornal A TRIBUNA SANJOANENSE, o semanário mais antigo de São João del-Rei, minha terra natal. Obviamente há uma cronologia de publicação associada aos acontecimentos que inspiraram as respectivas produções. Depois de muito pensar, se deveria mencionar datas, resolvi aboli-las, pois achei que correria o risco de tornar seu passeio um tanto dirigido e até cansativo. Posso imaginar alguém lendo algo retratando fato acontecido há anos! Talvez se sinta desmotivado. Então, no intuito de instigá-lo, apresento uma miscelânea de trabalhos recentes e antigos, a fim de lhe subtrair, de propósito, qualquer direcionamento e deixá-lo livre para pensar, buscando no tempo, por si, tal associação. Acredito ainda que dessa forma esteja incitando sua curiosidade à medida que avance páginas adentro. Sua leitura poderá inclusive ter início pelo fim ou pelo meio, que não haverá prejuízo algum para a percepção de que as coisas no Brasil nunca mudam. Ficará fácil constatar que a vontade política é trabalhada para a perpetuação da incompetência administrativa, obviamente frutífera para algumas minorias. Penso que, se me dispus a estas publicações, deva estar antes de tudo, suscetível a criticas e, portanto, nada melhor que deixá-lo, valendo-se unicamente das informações contidas no texto, localizar-se na história. Caso não lhe seja possível, temo que o trabalho perca qualidade perante seu julgamento pessoal. Por conseguinte, acredito que isso não acontecerá; a não ser que não tenha, a seu tempo, tomado conhecimento dos fatos aqui retratados. Procurei selecionar de tudo um pouco; certamente sempre críticas, porém algumas muito sérias carregadas de um claro amargor. Outras, mais suaves, pândegas e até envoltas num humor sarcástico. Noutras retrato problemas da minha São João del-Rei. Até cartas para congressistas em Brasília há. E em alguns pontos, para abusar da sua paciência, introduzi coisas muito particulares. Críticas à parte, nessas, apenas falo de mim, afinal, apesar de amigos, talvez nunca tenhamos trocado impressões sobre coisas tão pessoais. . .
Aqueles que me conhecem há tempos, sabem que sou um obstinado por política, apesar de jamais tê-la exercido diretamente. Motivos houve de sobra e numa oportunidade poderei explaná-los. Todavia, do fundo do coração, afirmo que tal paixão tem como motor um doloroso inconformismo por ver o Brasil tão esplêndido e tão vilipendiado; vítima inconteste dessa cultura avassaladora de demasiada tolerância à antiética imoral na administração pública. Comprovadamente este é o pior dos tsunames com potencial para ter retardado nosso progresso mais de três séculos e grande responsável pela perpetuação da pobreza de metade da nossa população, pelo analfabetismo total e funcional, pela violência social e pelo abismo intransponível que aliena gigantesco contingente, maior que um quinto da população do continente. Diante do inaceitável absurdo, impossível me conformar em silencio diante dos atos e fatos que vão vergonhosamente enxovalhando nossa história e nos deixando como um gigante deitado sobre o escravismo que a Lei Áurea não foi capaz de abolir. O título? Esse, talvez, seja o mais difícil explicar. Gritos sem ecos representam uma espécie de pedido de socorro do náufrago, que sabe que de nada adiantará espernear, pois não há interlocutores, não há socorro, não há saída, não há conscientização; mas, assim mesmo, grita-se.

Será um prazer receber sua visita e ler suas opiniões, elogios ou críticas.

Forte abraço!



domingo, 27 de novembro de 2016

LULA CONVERSANDO COM DEUS

LULA CONVERSANDO COM DEUS

Olá meu Querido, como vai você? Espero que no seu Céu as coisas estejam bem mais tranqüilas e que, se aí tiver algum demônio que atende pelo nome de Sérgio Moro, mande-o logo de volta para o inferno. Olha meu querido, você num pode ter idéia quanto problema esse cara tem criado aqui no meu céu! Imagine que o moleque resolveu me perseguir. Fica acreditando num bando de mentirosos do dedo duro e tá fazendo tudo pra me fazer ver o sol nascer quadrado. Tenho certeza que o “carinha” tá pensando um dia ser carcereiro.

Sabe, meu querido, ser Deus não é fácil; e eu que pensei que era bom demais! Ficar sentado num trono, mandando no mundo, só supervisionando o universo vendo um bando de traidores agirem nas sombras para nos trair. Mas eu já falei com todos eles: - Um dia voltarei, como você, nem que seja montado num jumento e farei um juízo final, ou melhor, inicial. Não serei mais tão bondoso quanto antes! Mandarei direto para o fundo do pré-sal com uma boa pedra amarrada no pescoço todo esse bando, inclusive aquela “diabrada” lá do Paraná, que fica querendo aparecer na televisão todo dia e inventando um monte de leis que eu nunca aprovei. Ah; já ia me esquecendo! O Aécio; vou mandar prá Havana a pé! Lá que é lugar de comunista! Meu amigo Raul vai fazer chá das cinco com ele.

Fico muito aperreado com essa situação! Como você, eu também vim ao mundo para salvar meu povo. Nasci muito pobrezinho, andei pelo meu Brasil num pau de arara, passei fome, frio e muita humilhação. Nunca tive um carro, nem casa, nem apartamento, nem sítio, nem celular, nem jatinho! Nada! Só não moro na Baixada Fluminense, porque o juro da Caixa tá muito alto e o meu salariozinho de ex-presidente num tá dando nem pra pitá um mata rato.

Preguei para os trabalhadores muita justiça social e ainda fundei um monte de Sindicatos e um Partido, todos grandes representantes do meu povo e contra esses ricos safados que só sabem explorar, roubar e mandar nos pobres como se fôssemos nós dois. Isso é uma grande audácia, porque só nós sabemos que Deus só pode haver dois: um no céu e outro nesse país.

Olha meu querido, às vezes fico pensando que fiz muito mais coisa aqui no meu céu do que você aí no seu. Criei o Fome Zero, o Bolsa Família, o Vale Gás, o Minha Casa Minha Vida, o Enem, o Proune, aumentei um monte de imposto, aumentei o salário mínimo e o máximo, mandei levar o Rio São Francisco “pru” nordeste, acabei com a inflação, com a pobreza, com a dívida interna e externa, fundei a Comissão da Verdade, o Escola com Partido Comunista, pus o FHC prá correr, emprestei grana prá todo mundo sem juro, sem lenço e sem documento; fiz uma Copa do Mundo e uma Olimpíada, mandei construir uma Arena “pru” meu timão, fiz o Obama me chamar de “O cara” e ainda mandei eleger a Dilma. O Zé Dirceu tá preso, mas não é culpa minha. A culpa é dele mesmo. Quem mandou ele querer ser Deus como nós dois? Esse negócio de Mensalão, Petrolão, Triplex, Sitio, Ilha, Foro de São Paulo e Filho Rico é invenção da oposição, porque eu nunca ouvi falar nada sobre isso.

E você o que fez? Febre Xicungunia, Dengue, Zica Vírus, Enchente, Tornado, Seca no Nordeste, seca pra todo lado, mandou meu amigo Hugão da Venezuela dessa vida boa de comandante comunista pra pior e ainda por cima colocou o Joaquim Barbosa e o Eduardo Cunha no meu caminho. Nem sei pra que colocar no mundo tanto prego no sapato dos outros!

Dizem que você é todo poderoso! Sei lá, tenho minhas dúvidas! Imagine, meu querido, você sempre falou que vai voltar só no fim dos séculos. Prá que tanta demora? Aí no seu céu num tem eleição de quatro em quatro anos? Pois é, aqui no meu tem e eu já volto no fim de 2017 e vou mostrar pro Sérgio Moro que continuo sendo o cara. Ele vai virar lanterninha de cinema na segunda-feira, lá em Passo Fundo, para ninguém ver a cara dele. Meu primeiro decreto será transformar a Petrobras em Petrocéu e mandar o Pedro Parente prá Havana junto com o Aécio. Meu novo tesoureiro honesto será o Falcão e minha camarada Dilma voltará montada num cavalo alado, cheia de graça, para ser a nova presidenta presidente da Petrocéu.

Além disso, vou transferir a capital do Brasil prá Caetés e ficarei lado a lado na história com Juscelino. Já estou cansado de Brasília! Na minha Caetés não vai ter rico, só comunista pobre. Por isso quem vai andar de jatinho e comer caviar vai ser só eu. Esse conforto do capitalismo é coisa muito boa, mas não pode ser pra todo mundo, senão meu povão acostuma mal e não vota mais em mim. Negócio bom é comunismo “pru” povão e capitalismo pra nós.

A elite branca vive de chacota comigo e dizem que não estudei e nunca li um livro. Eles é que não sabem, que quando eu era pequeno lia Pato Donald, Zé Carioca e Tio Patinhas. Eu sempre gostei muito de vermelho, por isso sou comunista roxo. E hoje, sei tudo mesmo sem diploma. Quanto mais eu vivo mais sei que tudo sei.

Meu querido estudou onde? Leu qual livro? Já foi convidado para fazer alguma palestra aí por esse universo afora? Pois é, eu vivo fazendo um monte de palestras e ensinando todo mundo como administrar um céu. Outro dia meu amigo Obama até me convidou para ensinar o Raul administrar Cuba!

Olha meu querido; já falei demais e preciso ir cuidar da minha reeleição. Prometo mandar um convite especial pra minha posse, mas não pense que vai ficar no meu palanque junto comigo, porque aqui no meu céu quem manda é só eu. Você vai ter que se contentar com o primeiro andar e tomar guaraná, porque whisky é só pra cúpula.

Ave eu!

ANTÔNIO KLEBER DOS SANTOS CECILIO