APRESENTAÇÃO


O conjunto de trabalhos que o amigo leitor encontrará adiante foi produzido ao longo de alguns anos. Não posso aqui precisar quantos, talvez uns vinte. A grande maioria deles foi publicada no jornal A TRIBUNA SANJOANENSE, o semanário mais antigo de São João del-Rei, minha terra natal. Obviamente há uma cronologia de publicação associada aos acontecimentos que inspiraram as respectivas produções. Depois de muito pensar, se deveria mencionar datas, resolvi aboli-las, pois achei que correria o risco de tornar seu passeio um tanto dirigido e até cansativo. Posso imaginar alguém lendo algo retratando fato acontecido há anos! Talvez se sinta desmotivado. Então, no intuito de instigá-lo, apresento uma miscelânea de trabalhos recentes e antigos, a fim de lhe subtrair, de propósito, qualquer direcionamento e deixá-lo livre para pensar, buscando no tempo, por si, tal associação. Acredito ainda que dessa forma esteja incitando sua curiosidade à medida que avance páginas adentro. Sua leitura poderá inclusive ter início pelo fim ou pelo meio, que não haverá prejuízo algum para a percepção de que as coisas no Brasil nunca mudam. Ficará fácil constatar que a vontade política é trabalhada para a perpetuação da incompetência administrativa, obviamente frutífera para algumas minorias. Penso que, se me dispus a estas publicações, deva estar antes de tudo, suscetível a criticas e, portanto, nada melhor que deixá-lo, valendo-se unicamente das informações contidas no texto, localizar-se na história. Caso não lhe seja possível, temo que o trabalho perca qualidade perante seu julgamento pessoal. Por conseguinte, acredito que isso não acontecerá; a não ser que não tenha, a seu tempo, tomado conhecimento dos fatos aqui retratados. Procurei selecionar de tudo um pouco; certamente sempre críticas, porém algumas muito sérias carregadas de um claro amargor. Outras, mais suaves, pândegas e até envoltas num humor sarcástico. Noutras retrato problemas da minha São João del-Rei. Até cartas para congressistas em Brasília há. E em alguns pontos, para abusar da sua paciência, introduzi coisas muito particulares. Críticas à parte, nessas, apenas falo de mim, afinal, apesar de amigos, talvez nunca tenhamos trocado impressões sobre coisas tão pessoais. . .
Aqueles que me conhecem há tempos, sabem que sou um obstinado por política, apesar de jamais tê-la exercido diretamente. Motivos houve de sobra e numa oportunidade poderei explaná-los. Todavia, do fundo do coração, afirmo que tal paixão tem como motor um doloroso inconformismo por ver o Brasil tão esplêndido e tão vilipendiado; vítima inconteste dessa cultura avassaladora de demasiada tolerância à antiética imoral na administração pública. Comprovadamente este é o pior dos tsunames com potencial para ter retardado nosso progresso mais de três séculos e grande responsável pela perpetuação da pobreza de metade da nossa população, pelo analfabetismo total e funcional, pela violência social e pelo abismo intransponível que aliena gigantesco contingente, maior que um quinto da população do continente. Diante do inaceitável absurdo, impossível me conformar em silencio diante dos atos e fatos que vão vergonhosamente enxovalhando nossa história e nos deixando como um gigante deitado sobre o escravismo que a Lei Áurea não foi capaz de abolir. O título? Esse, talvez, seja o mais difícil explicar. Gritos sem ecos representam uma espécie de pedido de socorro do náufrago, que sabe que de nada adiantará espernear, pois não há interlocutores, não há socorro, não há saída, não há conscientização; mas, assim mesmo, grita-se.

Será um prazer receber sua visita e ler suas opiniões, elogios ou críticas.

Forte abraço!



segunda-feira, 2 de setembro de 2013

CARTA AO JORNALISTA GUILHERME FIUZA



CARTA AO JORNALISTA DA REVISTA ÉPOCA GUILHERME FIUZA
(Revista Época é membro do Sistema Globo)
             
            Caro Guilherme, sou seu leitor há tempos. Logo que recebo as novas edições de Época, antes de tudo, vou  procurar a página que ostenta sua crítica, sempre afinada com a realidade presente e então, muito me delicio com a precisão das suas observações sempre temperadas com leve e sutil tom jocoso ao qual, como ninguém, sabe lançar mão, de modo que o desenvolvimento da idéia ganha gostosa consistência e sempre se afina magistralmente com a minha velha indignação diante dos despautérios nacionais. 
            Essa semana, ao ler o texto intitulado ATAQUE AO SÍRIO-LIBANÊS: A BURRICE NINJA me senti impelido a lhe enviar esse comentário, que mais que uma crítica, talvez seja um grito de desespero ou de socorro de alguém que não mais agüenta tanta bandalheira; diariamente em doses cavalares. Tenho a impressão que as pessoas e o Brasil enlouqueceram e tudo que sempre significou respeito, bom senso e ética, repentinamente foi esquecido e transformado num saco de maldades com a única valia de semear a cizânia e nos fazer de idiotas.
            Até que numa bela manhã, depois de uma noite bem dormida, liguei a televisão e alegremente vi que um bando de jovens estudantes resolveu soltar o grito de “Chega!” e foi para as ruas protestar, primeiramente contra os preços das passagens, e depois, quando ouviram críticas de que a pauta estava pobre se lembraram que qualidade de vida não é feita só de locomoção, mas de muito mais. Enquanto isso, os safados dos governantes correram para tapar o sol com a peneira e aquilo que poderia ganhar corpo com tamanho suficiente para colocar freio na picaretagem minguou e ficou reduzido a protestos de pequena monta em termos de Brasil, apenas localizados no Rio de Janeiro e São Paulo. Enquanto agora estão na mira dos furiosos apenas os governadores paulista e carioca, o PT inteligentemente ganha tempo e corre por fora tapando buracos com lama e muita demagogia capaz de fazer a popularidade da presidente voltar a ganhar pontos preciosos.
            No fundo da nossa esperança ficou apenas a expectativa do que ocorrerá no próximo dia sete de setembro: grande protesto nacional pacífico e pautado em reivindicações consistentes ou apenas bandeiraços, gritos e palavras de ordem, tudo somado a bandidos mascarados dispostos a incendiar a polícia e o mais que encontrarem pela frente!?... Podemos supor; nada mais! Se não fossem as redes sociais, certamente nem isso! Pelo bem ou pelo mal, ainda bem que temos esse canal, porque se dependesse da imprensa e do governo, que ainda continua deixando quase metade da população brasileira sem acesso à internet, estaríamos com cara de paisagem a ver navios em terra firme; felizes da vida.
            Diante dessa situação, você, equipado com todo o seu nível de informação, no referido texto, conclama os Ninjas a exigirem a CPI do Denit, o altar mor do bandido Cachoeira e seus cúmplices da DELTA, juntamente com membros dos partidos da base, ao em vem vez de atacarem o Hospital Sírio Libanês; orgulho da alta medicina e da desenvoltura no atendimento vip aos bacanas da sociedade; inclusive aos mãos leves chegados em afanar recursos públicos sem a menor dor de consciência. Aí cabe a pergunta chave desta carta: - Em quais jornais de grande circulação ou canais de tv aberta foram publicados comentários capazes de informar o cidadão comum, que não goza de poder aquisitivo para assinar Época, Veja, Estadão ou canais a cabo, detalhes sobre a verdadeira situação em que se encontra o Brasil, no momento, caminhando a passos largos rumo ao comunismo e ao fim do Estado de Direito e da democracia; inocentemente embarcado nas asas da política populista e das mentiras teatrais do senhor Lula e sua malta? Aliás, mesmo que o cidadão comum gozasse desse acesso, ele não estaria informado adequadamente, porque, como é do seu e do meu conhecimento, a imprensa brasileira já esta amordaçada, já perdeu a desenvoltura conferida pela democracia. Será por quê? Seria por medo, conveniência ou conivência?
            Meu caro Guilherme; de verborragia todos estamos cheios! O que o Brasil precisa mais do que nunca é de pragmatismo e vergonha na cara. Infelizmente disso esta se distanciando cada dia mais. Nosso país está açambarcado e dominado pelo petismo e seus inteligentes delinqüentes da esquerda radical. Onde estão os cidadãos de coragem e disposição para enfrentá-los? Por que a intelectualidade brasileira ainda não criou o “FORO DE SÃO JUDAS TADEU” o santo das causas perdidas? Onde esta a direita brasileira? Incrível como o multi-partidarismo nacional perdeu a simetria! Todos são da esquerda! O PT tentou e conseguiu criar um clima de aversão à direita. Ser de direita é vergonhoso e até arriscado. Ninguém mais abre o bico! Denunciam-se apenas o que faz eco com os interesses do governo. Outro dia ouvi o professor Olavo de Carvalho dizer que a direita brasileira é a “Direita da Esquerda”. Perigosa unanimidade!
            Por que a nossa “Direita da Esquerda” não vai à luta, não paga matérias nos jornais, não funda periódicos e revistas, não vai às igrejas e favelas, aos quartéis; não cria a “Comissão da Outra Verdade”, não promove palestras nos meios populares, não vai às redes sociais, não vai aos clubes de futebol; de modo a conscientizar o cidadão comum, o qual não tem acesso aos caros aparatos midiáticos, o informando que o estão lentamente colocando o laço no pescoço, para depois jogá-lo ainda mais profundamente no vale dos miseráveis comunistas? Enfim; por que não joga o mesmo jogo de faz de conta dos mensaleiros comunistas?
No seu caso em particular, não é difícil perceber que sua posição pende mais para o lado da “Direita da Esquerda”, entretanto infelizmente você não é um profissional do jornalismo independente; esta atrelado ao Sistema Globo, cuja posição, se não esta em cima do muro, esta no limbo político preferindo a segurança do silêncio. Outros jornalistas e acadêmicos de monta e respeitabilidade comprovada, estão por aí criticando, mas de maneira dispersa. Não há mobilização em torno de nada, nem de ninguém e muito menos apoio tácito de nenhum canal de alta penetração popular! Os Ninjas então continuarão mesmo atacando os ícones do imperialismo, pois, além da ânsia de expulsar o grito da revolta conservam na mente a falsa imagem criada pelo PT de que o culpado da sua miséria é a galinha dos ovos de ouro, a qual atende pelo nome de “Capitalismo”. Perdoarão o governo incompetente, que cobra a maior carga tributária do mundo e não devolve à sociedade os benefícios que espera. Bem feito para a “Direita da Esquerda” medrosa e leniente, que está correndo o risco de ficar apenas na retaguarda da história colhendo os ramos sem flores e espinhosos reservados aos que se acovardam.

p/ANTONIO KLEBER DOS SANTOS CECILIO seu leitor e admirador.